“Não pensava mais em ter filhos, mas eu e meu esposo achávamos que estava na hora de ter por causa da minha idade já tenho 40 anos.
Foram algumas tentativas e comecei a sentir tonturas, descobri estava com 8 semanas já.
Fiquei assustada já que trabalho em dois hospitais e tinha medo de engravidar pq a 20 anos atrás tive uma filha prematura. Ela nasceu de 7 meses pq tive pré eclampsia e descolamento de placenta.
Depois de 20 anos engravidei do Josué!
Falava pro meu obstetra do meu histórico e ele falou que nenhuma gestação é igual e realmente dessa vez eu ia morrendo...
Minha gestação foi muito problemática tive várias infecções urinárias, tive um sangramento com 22 semanas onde os médicos fizeram ultrassom e transvaginal e estava tudo normal.
Quando fiz a ultrassom morfológica na quinta feira três dias antes da morte dele o dr falou que estava tudo bem com o BB com a placenta tudo ótimo. Sai de lá tão feliz!
De sábado pra domingo começou as dores fui trabalhar pq estava de plantão mais não consegui e fui direto pra emergência, já que lá no hospital que trabalho não aceita meu plano.
Chegando na emergência, ao fazer a ultrassom o dra me disse “infelizmente seu BB está morto”. Em meio ao desespero a Dra da emergência me mandou ir pra casa ter ele em casa e eu falei que não queria ficar internada aí me internaram.
Subi pro centro obstétrico e tiraram ele, já sem vida. Só lembro de ter visto os pés dele.
Tive um choque hemorrágico não pude nem sepultar meu filho. Não vi meu filho pois desfaleci. Meu ginecologista disse que estava tudo normal comigo, agora estou investigando a trombofilia.
Ainda está muito recente, choro todos os dias, me dói muito, mais o Senhor tem me sustentado.”